Capa » Pesquisa » Modelagem hidráulica para mapeamento de risco e desenvolvimento de sistemas de alerta de inundação

Modelagem hidráulica para mapeamento de risco e desenvolvimento de sistemas de alerta de inundação

Apresentação 

Modelos hidrológicos podem oferecer previsões de vazão em trechos de rios ocupados com população vulnerável à inundação a partir da chuva prevista por modelos meteorológicos. Modelos hidráulicos de rios e planícies de inundação podem usar essas previsões para gerar previsões do momento de extravasamento do rio, evolução espaço-temporal da extensão da inundação e velocidade do escoamento superficial. Tais resultados combinados à análise de impacto socioeconômico podem oferecer informação para melhorar a eficácia dos alertas de risco de inundação.

O sucesso em atividades de modelagem hidrológica e hidráulica de planícies de inundação depende primordialmente também da disponibilidade de dados adequados [Cunge, 2003]. É possível explorar mais o potencial oferecido pela difusão recente de dados de sensoriamento remoto para o desenvolvimento de base de dados em regiões do Brasil que atualmente apresentam pouca disponibilidade de dados adequados para modelagem de inundação [e.g., Alfieri et al., 2014; Rudorff et al., 2014]. Por fim, a análise de risco de inundação exige a consideração de uma cascata de incertezas através de vários componentes do modelo e, sempre que possível, deve buscar maneiras de restringir a incerteza resultante usando formas de assimilação de dados.

O objetivo principal desse projeto é desenvolver a modelagem hidráulica de várzeas em áreas urbanas de municípios que lidam com recorrências de impactos de cheias. Pretende-se melhorar nossa capacidade de observar, analisar e modelar processos de inundação em várzeas tropicais e subtropicais considerando a interação de ações antrópicas seguindo as seguintes etapas de trabalho: (i) desenvolver métodos para estabelecimento de base de dados em regiões do Brasil que atualmente apresentam pouca disponibilidade de dados adequados para modelagem de inundação; (ii) com base na disponibilidade de dados e o princípio de parcimônia, avaliar os critérios de seleção de modelos hidráulicos mais adequados para simulação de inundação em bacias hidrográficas de diferentes características; e (iii) avaliar a incerteza de previsões de manchas de inundações com dados de sensoriamento remoto; (iv) desenvolver sistemas de simulação em tempo real para previsão de cheias com modelos hidráulicos acoplados.

 

Pesquisador Conrado de Moraes Rudorff

Possui graduação em Engenharia Sanitária e Ambiental pela Universidade Federal de Santa Catarina (2003), mestrado em Sensoriamento Remoto pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais INPE (2006), doutorado em Ciência e Gestão Ambiental pela University of California, Santa Barbara UCSB (2013). Atualmente é Pesquisador Adjunto do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais CEMADEN. Tem experiência nas áreas de Geociências, Sensoriamento Remoto, Hidrologia, Hidráulica e Biogeoquímica com ênfase em grandes rios e planícies tropicais. Recentemente vem atuando em pesquisas de modelagem hidráulica para mapeamento de risco, análise de impacto e sistemas de alerta de inundação em áreas urbanas.

Confira também

Modelagem de estabilidade de encostas com dados geotécnicos e topográficos para previsão de áreas suscetíveis a escorregamentos rasos

Apresentação A previsão de movimentos de massa induzidos por eventos climáticos é uma prática necessária …