Capa » Cemaden » A pesquisa
cemaden - pesquisa

A pesquisa

A pesquisa no Cemaden tem como objetivo geral desenvolver atividades de pesquisa científica, tecnológica e de inovação, de forma interdisciplinar, integrando disciplinas na área de meteorologia, agrometeorologia, hidrologia, geologia e geotecnia, sensoriamento remoto e desastres naturais, com ênfase na previsão, preparação, prevenção, e mitigação do impacto das ameaças naturais em áreas urbanas e rurais, com o objetivo de reduzir mortes e perdas materiais.

  • 1. Desastres Naturais
  • 2. Meteorologia
  • 3. Hidrologia
  • 4. Geologia
  • 5. Agrometeorologia e Incêndios Florestais
Esta área de pesquisa busca estudar o impacto dos eventos resultantes de extremos climáticos, como os movimentos de massa e inundações, e buscar formas de mitigação. A área de pesquisa em desastres naturais busca: 
  • Desenvolver ambientes computacionais para análise de risco e emissão de alertas através da integração de dados de observação, modelos e mapas de risco, incluindo informações socioeconômicas;
  • Desenvolver estudos de ocupação do espaço urbano, em particular estratégias que permitam mitigar o impacto das inundações e deslizamentos;
  • Desenvolver inventários multidisciplinares sobre desastres no território nacional, incluindo a tipificação desses desastres, informações socioambientais, meteorológicas, hidrológicas, geológicas, e os impactos sobre a população e economia de regiões associadas a esses desastres;
  • Desenvolver estudos que analisem a resposta do poder público diante da ocorrência de desastres, propondo melhorias, incluindo a formulação de planos de prevenção e contingência existentes e a disseminação da informação;
  • Desenvolver metodologias de avaliação de impactos no momento de emissão dos alertas, de maneira a propor recomendações que minimizem o impacto dos desastres sobre a população atingida se o alerta vier a se confirmar.
Esta linha de pesquisa estuda os eventos meteorológicos associados à ocorrência de movimentos de massa e inundações, com o objetivo de evitar que ameaças se tornem desastres. As pesquisas na área de meteorologia buscam:

• Caracterizar eventos meteorológicos associados à ocorrência de deslizamentos e inundações, de maneira a melhorar a antecedência dos alertas e identificar limiares críticos de chuva;

• Desenvolver melhorias e novas parametrizações em modelos atmosféricos de maneira a melhorar as estimativas de precipitação em período curto de tempo (menos de três dias);

• Desenvolver e implantar novas técnicas de previsão por conjunto em modelos operacionais, bem como de correção de erros sistemáticos de estimativas quantitativas de precipitação;

• Avaliar o potencial de uso de previsões meteorológicas pela técnica de conjunto nas previsões de eventos extremos, bem como técnicas de identificação desses extremos;

• Desenvolver algoritmos que integrem estimativas de precipitação de satélites, radares e sensores a superfície, incluindo técnicas de identificação e correção de erros de observação e sistemáticos, de maneira a obter campos quantitativos de precipitação mais próximos da realidade e em altíssima resolução espacial;

• Desenvolver algoritmos de estimativas quantitativas de precipitação que incorporem ferramentas de nowcasting a partir de radares e sensores remotos, de maneira a estender o alcance temporal dos campos observados;

• Desenvolver pesquisas usando radiometria de microondas passiva e ativa para levantamento de parâmetros preditores de tempestades severas;

• Realizar pesquisas e desenvolvimento de aplicações inovadoras a partir de processamento em alto desempenho de dados meteorológicos de quatro dimensões visando a criação de cenários usando realidade aumentada e realidade virtual;

• Desenvolver modelos de colapso de safra agrícola, com ênfase na região semiárida e nas culturas de subsistência, que possam ser implantados em ambientes operacionais.

Esta área de pesquisa realiza estudos que contribuam para o desenvolvimento de modelos e ferramentas com o objetivo de minimizar os impactos de inundações, alagamentos e enxurradas em áreas urbanas e rurais. O grupo de pesquisadores em hidrologia desenvolve e promove:

• Modelos matemáticos de previsão de inundação, cheias, alagamentos e enxurradas em áreas urbanas e rurais, que contribuam com sistemas de alerta contra acidentes e desastres;

• Estudos sobre o impacto da urbanização na geração de enchentes, inundações, alagamentos e enxurradas, visando contribuir com o planejamento do espaço urbano de maneira a mitigar o impacto desses eventos;

• Ferramentas de alerta contra enchentes, inundações, alagamentos e enxurradas em espaços urbanos e rurais, que façam uso de modelos hidrológicos integrados a previsão meteorológica por conjunto, e/ou dados de satélite, radar e sensores de superfície com transmissão em tempo real;

• Estudos visando avaliar o impacto de intervenções estruturais e/ou não estruturais sobre a ocorrência de enchentes, inundações, alagamentos e enxurradas, em conjunto como o desenvolvimento de metodologias para análise de risco e seu gerenciamento, incluindo planos de contingência e proposição de ações preventivas;

• Implantação de bacias urbanas e rurais experimentais em áreas sujeitas a enchentes, alagamentos, inundações e enxurradas;

• Desenvolver softwares de visualização de áreas sujeitas a inundações, alagamentos, enchentes e enxurradas, que permitam a análise integração de dados de precipitação, hidrológico, produtos de satélites e de radar, modelos numéricos do terreno, e resultados de modelos atmosféricos e hidrológicos;

• Promover o zoneamento de áreas inundáveis através do mapeamento das áreas de inundação utilizando registros de cheias de bacia hidrográficas urbanas com período de recorrência de até 100 anos.

Esta área de pesquisa busca entender os movimentos de massa que ocorrem no país, bem como formas de melhor mapeá-los e monitorá-los. A área de pesquisa em geociências busca:

• Desenvolver estratégias de monitoramento in-situ de processos geodinâmicos de superfície;

• Aperfeiçoar o entendimento sobre movimentos gravitacionais de massa, com o objetivo de melhorar a capacidade preditiva dessas ameaças;

• Desenvolver e melhorar modelos geodinâmicos e geo-hidrológicos de formação e movimentos de massa de encostas, que possam ser implantados em ambientes operacionais;

• Determinar os limiares desencadeadores de movimentos de massa, em particular chuva e umidade do solo, para que possam ser utilizados como indicadores da iminência de escorregamentos de massa;

• Identificar e caracterizar cicatrizes de movimentos de massa através do sensoriamento remoto, de maneira a delimitar áreas susceptíveis a esse tipo de evento;

• Quantificar como as mudanças do uso da terra afetam a intensidade de frequência dos movimentos de massa;

• Desenvolver metodologias de zoneamento de áreas suscetíveis e áreas de risco a movimentos de massa.

Esta área de pesquisa busca estudar o impacto da seca e incêndios florestais em regiões da grande vulnerabilidade, focando na estimativa do risco de colapso de safras, e na quantificação de áreas sujeitas à seca e aos incêndios florestais. A pesquisa em agrometeorologia, seca e incêndios florestais busca:

• Desenvolver estudos de modelagem agrometeorológica para previsão de risco de colapso de safras da região semiárida do Brasil;

• Avaliação dos impactos da seca agrícola em áreas vulneráveis do semiárido do Brasil;

• Estudos com dados agrícolas obtidos por “crowdsourcing” para subsidios à modelagem do risco de colapso de safras e ao monitoramento dos impactos da seca no semiárido do Brasil;

• Modelagem e monitoramento de risco de incêndios florestais usando técnicas de sensoriamento remoto e climatologia.

 

 

 

Confira também

Modelagem de estabilidade de encostas com dados geotécnicos e topográficos para previsão de áreas suscetíveis a escorregamentos rasos

Apresentação A previsão de movimentos de massa induzidos por eventos climáticos é uma prática necessária …