Capa » Noticias » Pesquisadores brasileiros e japoneses discutem sobre alertas de desastres naturais

Pesquisadores brasileiros e japoneses discutem sobre alertas de desastres naturais

Aprimorar as técnicas sobre previsão e alertas de desastres por deslizamento de encostas foi o objetivo central da 5ª reunião entre pesquisadores do Centro Nacional de Monitoramento de Alertas de Desastres Naturais, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (Cemaden-MCTI) e a Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica, sigla em inglês).

Os debates ocorreram no Auditório da Área de Eventos do Parque Tecnológico, em São José dos Campos, na segunda quinzena de outubro (21.10), com a participação dos técnicos da Defesa Civil dos municípios de Petrópolis e Nova Friburgo (RJ), de Blumenau (SC), do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres do Ministério da Integração Nacional (Cenad-MI), além de especialistas da Universidade Federal Fluminense (UFF), da Universidade Estadual de São Paulo (Unesp), do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), da  Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais do Ministério de Minas e Energia (CPRM-MME), entre outros técnicos.

Durante todo o dia, foram discutidas as metodologias de pesquisa, entre elas a coleta e organização de dados para o monitoramento das chuvas, especialmente, nas áreas de riscos de deslizamentos, bem como para a definição de chuva padrão para emissão de alertas.  Os resultados da aplicabilidade dessas pesquisas visam oferecer maior eficácia nas análises para agilizar o tempo dos alertas. Dessa forma, fortalece a estrutura nacional da Defesa Civil nas ações de prevenção, alertas e evacuação da população nas áreas de risco. Ao final da reunião, foram feitas recomendações e propostas para definição de protocolos e manuais.

 “Nesta última reunião do ano, pudemos concluir sobre a metodologia  ideal a ser aplicada no Brasil com relação ao monitoramento e emissão de alertas de riscos de desastres naturais por deslizamento de encostas”, afirmou o coordenador do evento e gerente operacional em Geociências do Cemaden, Celso Aluísio Graminha.

O intercâmbio entre Brasil e Japão faz parte do Projeto de Fortalecimento da Estratégia Nacional de Gestão Integrada de Riscos em Desastres Naturais, envolvendo o Cemaden-MCTI e a Jica.  O projeto visa melhorar a capacidade brasileira de avaliar e reduzir riscos, aperfeiçoando o monitoramento, além de conduzir e organizar a pesquisa e desenvolvimento (P&D) sobre desastres naturais.

O Termo de Cooperação entre os dois países foi firmado em 2013, envolvendo as Agências Brasileira de Cooperação (ABC) e a de Cooperação  Internacional do Japão (Jica), os Ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação, das Cidades, da Integração Nacional e das Minas e Energia do Brasil, para o fortalecimento da capacidade brasileira na gestão de riscos  de desastres naturais.

O Cemaden, criado por Decreto Presidencial  nº 7.513, em julho de 2011, no âmbito do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação, adota uma estrutura técnico-científica organizada, desenvolvendo capacidade científica, tecnológica e de inovação para continuamente aperfeiçoar os alertas de desastres naturais. Entre outras competências, emite alertas para o Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres – Cenad, do Ministério da Integração Nacional, auxiliando o Sistema Nacional de Defesa Civil. O Cemaden opera 24 horas por dia, sem interrupção, monitorando as áreas de risco em 795 municípios em todo território nacional.

Reunião Cemaden e Jica  (Fotos Cristina Matayoshi, da JICA)
Reunião Cemaden e Jica (Fotos Cristina Matayoshi, da JICA)

Confira também

Prorrogada inscrição da Campanha #AprenderParaPrevenir até o próximo dia 15 de novembro

  “Reduzindo o risco de desastres: ações educativas em tempos de mudanças climáticas” é o tema …