Capa » Noticias » Cemaden e ANA integram sistema de monitoramento do Rio Paraíba do Sul

Cemaden e ANA integram sistema de monitoramento do Rio Paraíba do Sul

Com a finalidade de desenvolver um sistema integrado de ações para emissão de alertas e previsão do impacto das inundações e de ruptura de barragens, bem como de propagação de poluentes na Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul, o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Informação (MCTI), está ampliando o acordo com a Agência Nacional de Águas (ANA) para o intercâmbio técnico-científico entre as equipes das duas instituições.

O acordo de ação integrada tem como base a utilização do sistema computacional denominado Sistema de Previsão de Eventos Críticos (Sisprec), o qual obtém dados automaticamente do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC/Inpe), do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e também dados da ANA.

Na semana passada, houve um outro acordo de gestão hidrográfica, definindo-se os aspectos técnicos de integração do sistema do Banco de Dados da ANA e do Cemaden. A ANA apresentou ao setor de Operação e Modelagem do Cemaden a metodologia de classificação de bacias hidrográficas com bases na configuração natural do sistema de drenagem (sistema adotado pela ANA e em outros países, denominado de “ ottocodificada”).

Nesta quinta-feira (11/12), o especialista em Recursos Hídricos da ANA, Othon Fialho de Oliveira, está em São José dos Campos, para o treinamento aos tecnologistas e pesquisadores do Cemaden, trazendo informações e apresentando o Sistema de Previsão de Eventos Críticos na Bacia do Rio Paraíba do Sul (Sisprec), que amplia a recepção de dados vindos das outras instituições (CPTEC/Inpe e ONS).

 O desenvolvimento  do  Sisprec  envolve  a  utilização  de  ferramentas  que  analisam os   dados  da  previsão  do  tempo,  bem  como  a  criação  de  um  histórico  de precipitações, permitindo gerar  simulações de possíveis enchentes na Bacia do Paraíba do Sul. Esses dados possibilitam desenvolver ações integradas para a gestão de risco e o gerenciamento de desastres relacionados aos recursos hídricos da Bacia do Rio Paraíba do Sul, com maior detalhamento aos rios Pomba, Muriaé, Carangola, Paraibuna e Paraíba do Sul.

 A Bacia do Rio Paraíba do Sul estende-se por 184 municípios, uma das regiões mais habitadas e industrializadas do Brasil, abrangendo o Vale do Paraíba Paulista (13.500 km²), a Zona da Mata Mineira (20.900 km²) e quase metade do Estado do Rio de Janeiro (21.000 km²). Conforme dados do IBGE, o trecho da bacia referente à maioria dos municípios paulistas e do sul fluminense é o mais industrializado e urbanizado. Denominado de macroeixo Rio-São Paulo, o trecho envolve várias regiões metropolitanas, somando mais de 30 milhões de habitantes.

 Protocolo de Ações Integradas de monitoramento e alerta de inundações

 Desde dezembro de 2013, quando foi emitida a Portaria Conjunta n° 148/2013, ficou estabelecido o Protocolo de Ação Integrada para os casos de Inundação Gradual, definindo as competências entre a Agência Nacional de Águas (ANA), o Centro Nacional de Monitoramento a Alertas de Desastres Naturais – Cemaden, representado pela Secretaria de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento (Seped/MCTI), o Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad) representado pela Secretaria Nacional de Defesa Civil (Sedec/MI) e a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM).

 O Protocolo de Ação Integrada entre as instituições federais  – envolvidas diretamente com o monitoramento e alerta de inundações –  reforça a necessidade de intercâmbio técnico-científico dessas instituições para o enfrentamento de desastres relacionados a inundações, os quais afetam, todos os anos,  grande número de pessoas, além dos prejuízos gerados por esse tipo de desastre.

Confira também

Pesquisador do Cemaden participa de reuniões científicas no Reino Unido dentro do acordo de parceria do CSSP Brasil

Com o objetivo de discutir sobre modelagem de impactos e de aplicação em culturas agrícolas, …