Capa » Noticias » Cemaden amplia rede de monitoramento aplicada à prevenção de deslizamentos na Baixada Santista

Cemaden amplia rede de monitoramento aplicada à prevenção de deslizamentos na Baixada Santista

A equipe de pesquisadores da área de geodinâmica do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) – em parceria com as Defesas Civis dos Municípios de Santos, São Vicente, Guarujá, Cubatão e Praia Grande –  iniciou, nesta segunda quinzena de junho, na Baixada Santista, a instalação de pluviômetros acoplados a sensores geotécnicos, equipamentos conhecidos como Plataformas de Coleta de Dados Geotécnicos ou PCDs Geotécnicos.

A inovação proposta nesta ampliação da rede é a composição de pluviômetros automáticos e sensores de umidade do solo no mesmo equipamento (PCD Geo).

“O objetivo é monitorar e produzir alertas no risco de ocorrência de desastres de deslizamentos em encostas urbanas e, desta forma, aprimorar os alertas de prevenção dos impactos de risco de deslizamentos.”, explica o pesquisador da área de geodinâmica do Cemaden,  Márcio Andrade.

Os equipamentos fazem parte do Projeto Remaden/Redegeo (Rede Nacional de Monitoramento de Desastres Naturais), que visa a ampliação e consolidação da rede observacional do Cemaden. O projeto é financiado pela FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos) por meio do FNDCT (Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico).

Monitoramento do Cemaden na Baixada Santista

As instalações programadas das PCDs Geotécnicas, neste mês de junho, ocorrerão na Baixada Santista, abrangendo os municípios de Santos, São Vicente, Guarujá, Cubatão e Praia Grande.

Além dos 56 pluviômetros automáticos do Cemaden atualmente em funcionamento na Baixada Santista (disponíveis no site www.cemaden.gov.br/mapainterativo),  o Projeto Redegeo virá acrescentar mais 15 pluviômetros geotécnicos (PCDs Geotécnicas), ampliando  a capacidade operacional do sistema de alertas de desastres naturais na região.

A região da Baixada Santista tem amplo histórico de acidentes ocasionados por deslizamentos  provocados por chuvas intensas. Neste ano de 2019, os municípios da Baixada Santista tiveram dezenas de deslizamentos ocorridos nos meses chuvosos, particularmente de fevereiro a maio, com severos prejuízos socioeconômicos, felizmente sem ter havido vítimas fatais.

O Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil, definido na Lei Federal 12.608/2012, considera como um dos instrumentos de prevenção o monitoramento de parâmetros ambientais deflagradores de desastres naturais em áreas de riscos hidrológicos e geológicos. Desta forma, a rede de monitoramento de chuvas por meio de pluviômetros é uma das principais ferramentas utilizadas para o sistema de alertas de inundações e deslizamentos em articulação com os Estados, o Distrito Federal e os Municípios.

Projeto RedeGeo

O projeto Redegeo visa acrescentar 140 PCDs Geotécnicas até o ano de 2021 nas Regiões Sul, Sudeste e Nordeste do Brasil, em municípios críticos com relação ao histórico de deslizamentos de terra e impactos socioeconômicos.

Além da Baixada Santista, está em andamento a instalação das PCDs Geotécnicas na região metropolitana de Recife (PE).

Estão previstas, também, a instalação dos equipamentos nos municípios de Blumenau (SC), de Mauá e municípios vizinhos ( no Estado de São Paulo), Angra dos Reis, Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo (no Estado do rio de Janeiro)_ e em Salvador e municípios vizinhos (no Estado da Bahia).

Para a instalação das PCDs Geotécnicas nos municípios, é necessário realizar um cronograma de atividades preparatórias e o envolvimento de pesquisadores, acordos e contratos institucionais do Cemaden, Defesas Civis, empresa técnica de instalação e apoio de universidades locais.

O cronograma de instalação dos equipamentos  é cumprido em três fases de atividades: 1ª fase- coleta de amostras de solo para ensaios laboratoriais; 2a. fase – construção de infraestrutura para instalação da PCD e na 3a. fase – retorno para montagem da PCD, conexões, início de funcionamento e transmissão de dados.

Está previsto até mês de agosto deste ano, a instalação de um total de 45 PCDs Geotécnicas da RedeGeo. Nesta primeira etapa, serão instaladas 15 PCDs em cada estado : em Pernambuco, em São Paulo (Baixada Santista) e Santa Catarina.

(Fonte: Ascom/Cemaden)

Imagem da PCD Geotécnica do Cemaden : do pluviômetro (medição de chuva) e dos sensores de umidade do solo (quantidade de água no solo). (Foto: Moraes/Cemaden, 2014)

Confira também

Prorrogada inscrição da Campanha #AprenderParaPrevenir até o próximo dia 15 de novembro

  “Reduzindo o risco de desastres: ações educativas em tempos de mudanças climáticas” é o tema …