Capa » Monitoramento » Situação Atual da Seca no Semiárido e Impactos – Janeiro de 2017
secasimpactos1

Situação Atual da Seca no Semiárido e Impactos – Janeiro de 2017

Avaliação das condições de seca para os últimos 90 dias de acordo com o cálculo dos percentis dos dados de precipitação

A avaliação do Percentil para os últimos 90 dias (período entre os dias 02 de novembro a 31 de janeiro) indica um aumento das áreas que apresentam a condição de “Muito Seco”, em relação ao mês anterior (dezembro). Estas áreas localizam-se no Estado da Bahia, noroeste de Minas Gerais, leste do Estado de Sergipe, porção central dos Estados de Pernambuco e do Piauí. Muitos municípios inseridos nestes mesmos Estados apresentaram a condição de “Seco”.  Atenção deve ser dada aos municípios inseridos ao sul dos Estados do Piauí e Maranhão, oeste do Estado de Pernambuco e ao sul do semiárido onde os volumes de precipitação esperados na quadra chuvosa (em curso) estão abaixo do normal.

O percentil é usado como forma de classificar o status de cada município, segundo o montante de precipitação recebido.
São consideradas as seguintes classificações: Muito Seco (precipitação abaixo do percentil 15); Seco (precipitação entre os percentis 15 e 35); Normal (entre os percentis 35 e 65); Se em um determinado período uma região foi classificada como “Muito Seca”, isto significa que o acumulado de chuva desta região foi classificado dentre os 15% menores valores da série. O padrão “Seco” inclui as regiões que apresentam precipitação no intervalo entre 15% e 35% dos valores mais baixos da série, e, assim, sucessivamente.

Índice VSWI: Porcentagem do município impactado pela seca (áreas de pastagens e agrícolas) no mês de janeiro de 2017

Considerando os impactos da seca em áreas de atividades agrícolas e/ou pastagens, em relação ao mês anterior (dezembro), a situação de seca aumentou principalmente no centro da Bahia e na porção leste da Região Semiárida, incluindo os municípios inseridos nos Estados Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Alagoas. A Figura apresenta as porcentagens de áreas de atividades agrícolas e pecuária de cada município impactado pela seca. Considerando regiões onde o calendário de plantio se inicia nos meses de outubro e novembro, e, portanto, o ciclo fenológico da cultura agrícola pode estar em curso, a área de possível impacto da seca se localiza em quase todos os Estados da região Semiárida principalmente nos municípios inseridos nos Estados da Paraíba, Pernambuco, Bahia e noroeste de Minas Gerais. A exceção acontece nos Estados de Rio Grande do Norte, Alagoas e Sergipe onde calendário de plantio não se encontra em vigência. De acordo com o índice VSWI, 368 municípios apresentaram pelo menos 50% de suas áreas impactadas no mês de janeiro de 2017. As áreas impactadas pela seca somam cerca de 23 milhões de hectares (Tabela).

O índice VSWI é derivado de dados de NDVI e temperatura do dossel, oriundos do sensor MODIS a bordo dos satélites AQUA e TERRA – resolução de 1 km. O índice indica condição de seca quando o valor do NDVI (índice de vegetação) é baixo (o que indica baixa atividade fotossintética) e a temperatura da vegetação é alta (indicando estresse hídrico).

Tabela 1. Avaliação da Extensão dos Impactos da seca nas regiões com calendário de plantio vigente.

UF Número de Municípios com mais de 50% de área impactada Área Impactada (ha) Número de Estabelecimentos de Agricultura Familiar Impactados
BA 107 11.572.093,29 204.794
CE 49 2.070.076,23 65.980
PI 54 2.202.879,58 48.536
PB 73 1.424.640,15 40.829
AL
RN
MA 1 96.650,43 840
SE
ES 7 323.393,08 7.883
PE 36 2.146.181,70 67.820
MG* 41 2.970.107,59 46.735
TOTAL 368 22.806.022,07 483.417

OBS: Os Estados marcados com asterisco também estão com o calendário de plantio em curso, porém não possuem nenhum município que atingiu o critério de ter pelo menos 50% de sua área impactada.

Influências climáticas na escala sub-sazonal a sazonal

O cenário climático atual é de término de um episódio de La Niña de fraca intensidade, e transição para uma condição de neutralidade. Nesta próxima estação chuvosa o cenário deve ser mais influenciado pela condição diagnóstica do Oceano Atlântico Tropical Norte, que mostra a predominância de padrões normalmente associados a seca. Desta forma, a previsão climática sazonal de chuva (MCTIC) para FMA/2017 indica que é mais provável (40% de chance) que as chuvas ocorram abaixo da média histórica. Por outro lado, as projeções em médio prazo (1-2 semanas) mostram fortes indícios de condições favoráveis às chuvas no semiárido a partir da segunda semana (a partir de 09 de fevereiro). A região beneficiada ainda é incerta, variando entre o norte de Minas e da Bahia. Vindo a ocorrer, estas precipitações deverão beneficiar principalmente nos municípios da Bahia e do semiárido mineiro. Em um prazo mais longo, dado que o cenário futuro não é favorável à ocorrência de precipitações abundantes aumenta o risco de perda de safras.

Faça o Download do Relatório na Integra

Confira também

tres-marias

Situação Atual e Previsão Hidrológica para o Aproveitamento Hidroelétrico Três Marias 04/07/2017

A precipitação média espacial, acumulada durante a estação seca de abril a 30 de junho …