Capa » Monitoramento » Monitoramento Hidrológico » Relatório Cantareira » Situação Atual e Previsão Hidrológica para o Sistema Cantareira

Situação Atual e Previsão Hidrológica para o Sistema Cantareira

A precipitação média espacial, acumulada no mês de janeiro de 2016, foi de 85,5 mm (81,4¹mm), o que representa 32,9% (31,3%¹) da média climatológica do mês (259,9¹mm), considerando a média até 2013, divulgada pela SABESP.

A vazão média afluente ao Sistema Cantareira (Sistema Equivalente + Paiva Castro) no mês de janeiro de 2016, foi 47,86 m³/s (Figura 2), 32,3% abaixo da vazão média mensal de 70,68 m³/s (período 1930-2013), e para o mesmo período, a extração média de água do Sistema Cantareira foi de 15,91 m³/s, segundo dados da SABESP e do GTAG-Cantareira/ANA: situação dos reservatórios.

O Sistema opera hoje, 13 de janeiro de 2016, com 25,7% do volume total autorizado (1269,5 hm³), correspondente ao volume útil mais as duas reservas técnicas (volume morto 1 + volume morto 2).

As previsões baseadas no modelo ETA/CPTEC/INPE, no modo de conjunto, para a região de abrangência da bacia de captação do Sistema Cantareira indicam alta possibilidade de ocorrência de chuvas na próxima semana, fundamentalmente em forma de pancadas de chuva. Os volumes pluviométricos totais provavelmente serão próximos à média histórica da época.


¹ De acordo com o site da SABESP, http://www2.sabesp.com.br/mananciais/.

cantareira

Figura 1. Precipitação observada acumulada (em mm) nos pluviômetros do CEMADEN e DAEE/SAISP nas sub-bacias de captação do Sistema Cantareira (contornos em preto). As cores representam alturas topográficas com relação ao nível do mar de acordo com a escala da direita. (*) pluviômetros sem dados em alguns dias.

cantareira

Figura 2. Previsão de precipitação acumulada em mm nos próximos 3 e 7 dias para a bacia de captação do Sistema Cantareira, segundo a previsão por conjuntos (média de 7 previsões semelhantes em que a cada previsão é iniciada com o estado da atmosfera ligeiramente diferente) do modelo numérico Eta/CPTEC/INPE. A área da bacia de captação do Sistema Cantareira é indicada na Figura com linha preta espessa.

A Figura 3 mostra a projeção da vazão média mensal afluente em m³/s do modelo hidrológico PDM/CEMADEN² (Probability-Distributed Model/CEMADEN), usando a previsão de precipitação do modelo ETA para os próximos 7 dias e, na sequência, considerando 5 cenários de precipitação: média climatológica, 25% abaixo, 50% abaixo, 25% acima e 50% acima da média climatológica, até 31 de março de 2016. Nesta nova simulação foram incluídos cenários de temperaturas máximas e mínimas.

cantareira

Figura3 – As linhas tracejadas apresentam cinco projeções de vazão média mensal afluente, em m³/s, ao Sistema Cantareira (Sistema Equivalente + Paiva Castro) com a previsão do ETA/CPTEC/INPE para os próximos 7 dias e, na sequência, para os cenários: precipitação 50% abaixo da média climatológica (linha vermelha), 25% abaixo da média climatológica (linha amarela), na média climatológica (linha cinza), 25 % acima da média climatológica (linha verde) e 50% acima da média climatológica (linha azul). O início das projeções corresponde à vazão média prevista para os próximos 7 dias e na sequência para a vazão projetada para cada cenário. A linha preta corresponde à vazão média mensal climatológica para o período 1930-2013, em laranja à vazão média mensal de abr/2014 a mar/2015 e em roxo de abril de 2015 a 13 de janeiro de 2016.

Da análise da evolução hipotética das chuvas até 31 de março de 2016, usando as simulações do modelo hidrológico (Figura 3) e considerando a extração total do Sistema Cantareira igual a 18,5 m³/s para dezembro de 2015 (segundo Comunicado Conjunto ANA-DAEE 251), igual a 17,0 m³/s para janeiro (segundo Comunicado Conjunto ANA-DAEE 250), fevereiro e março de 2016, para os cenários de precipitações pluviométricas na média climatológica, 25% e 50% abaixo, e 25% e 50% acima da média climatológica, o chamado volume morto não seria utilizado novamente antes de 31 de março de 2016 (vide tabela resumo).


² PDM/CEMADEN é um modelo hidrológico implementado no CEMADEN para calcular a vazão afluente na bacia de captação do Sistema Cantareira. Utiliza dados diários de precipitação e evapotranspiração potencial para calcular vazão afluente.

Resumo das previsões para o período de 14/janeiro a 31/março/2016 para os cinco cenários de precipitação, considerando a extração total (Qesi + Qjus) constante igual a 17,0 m³/s para janeiro (segundo Comunicado Conjunto ANA-DAEE 250), fevereiro e março de 2016.

Cenários Precipitação
  50% abaixo 25% abaixo Média 25% acima 50% acima
Dias para recuperar o volume morto 1 0 0 0 0 0
% do volume total autorizado (1269,5 hm³) em 31/mar/2016 33,7% 41,4% 50,5% 59,8% 70,0%
Faça o Download do Relatório na Integra

Confira também

Situação Atual e Previsão Hidrológica para o Sistema Cantareira 24/08/2018

A precipitação média espacial, acumulada durante o período de 01 de abril a 23 de …