Capa » Noticias » Radar em Maceió vai monitorar fenômenos naturais em quatro estados

Radar em Maceió vai monitorar fenômenos naturais em quatro estados

Foi inaugurado nesta quarta-feira (4), em Maceió, o sexto equipamento para monitoramento de fenômenos naturais do projeto Radares Meteorológicos, do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden/MCTI).

O radar, com capacidade técnica de monitorar o território de quatro estados do Nordeste – Alagoas, Sergipe, Pernambuco e a região do norte da Bahia – vai auxiliar especialistas nos estudos do clima, antecipando as previsões de chuvas e estiagens, e consequentemente, as informações que envolvem questões de desastres ambientais. Fica no campus universitário da Universidade Federal de Alagoas (UFAL).

fotoradarmaceio

A cerimônia teve a presença de gestores dos governos federal, estadual e municipal, e a participação de pesquisadores e estudantes da UFAL, e representantes do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

“O equipamento que foi implantado em Alagoas é um dos mais modernos do país”, expôs o secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do MCTI, Carlos Nobre.

“Ele integra o Plano de Gestão de Riscos [e Resposta a Desastres Naturais] do governo federal e faz parte de uma rede de monitoramento meteorológica que tem como objetivo reduzir os impactos dos desastres naturais.”

Nobre acrescentou que, com o instrumento, será possível antecipar informações sobre o volume de chuvas ou estiagens, e assim, programar ações e estratégias para mobilizar a retirada de famílias das áreas de risco. “O objetivo do governo federal é diminuir a exposição da população diante dos desastres, ao se antecipar aos fatos, e agilizar o sinal de alerta ao compor informações precisas para auxiliar a defesa civil”, disse.

Antecipação

O coordenador do projeto Radares Meteorológicos, Carlos Frederico de Angelis, explicou que a unidade implantada em Alagoas possui tecnologia e sensibilidade para levantar dados elaborados sobre chuvas ao longo de um raio de 400 quilômetros (km), com abrangência de 800 km de diâmetro. Segundo Angelis, o equipamento, avaliado em R$ 8 milhões, tem a capacidade de antecipar os fatos provocados por fenômenos naturais entre seis e duas horas.

“O projeto prevê no Brasil a implantação de nove radares deste porte, formando uma rede com profissionais especializados que serão capazes de monitorar o deslocamento das nuvens e antecipar dados que contribuirão tanto para salvaguarda da população como para o planejamento da agricultura”, pontuou o representante do Cemaden.
“Se o impacto de um desastre natural para o agronegócio é prejudicial, para a população e os pequenos produtores ele é ainda maior. Por isso, a função desta rede é absorver e repassar informações para prevenir e evitar perdas, tanto na produção da atividade rural como de vidas.”

Pesquisa e capacitação

O reitor da UFAL, Eurico Lobo, destacou a oportunidade para toca de experiências. “Se para os especialistas e a população o radar é uma ferramenta operacional de grande importância para estratégias e planejamentos futuros, para a universidade ele também é um instrumento de formação e pesquisa. Estamos honrados porque com ele ganhamos conhecimento, ou seja, mais uma oportunidade para fortalecer nosso Centro de Capacitação de Recursos Humanos, algo que já é referência no país”, comentou. O secretário estadual da Ciência, da Tecnologia e da Inovação, Eduardo Setton, também participou da inauguração.

Com o equipamento já em funcionamento dentro do campus universitário, um dos primeiros desafios dos especialistas é monitorar e enviar informações sobre a situação climática dos próximos dias para os organizadores da Copa do Mundo de Futebol, com trabalho focado no levantamento de informações da cidade-sede de Recife, em Pernambuco.

 

Texto: Waldson Costa – Ascom do MCTI

 

Confira também

Cemaden lança licitação para contratação de serviços de impressão (outsourcing)

O Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), localizado no Parque Tecnológico …