Capa » Projetos » Sensores geotecnicos » Projeto Monitoramento de Encostas para Prevenção de Deslizamentos
cemaden-monitoramento de encostas

Projeto Monitoramento de Encostas para Prevenção de Deslizamentos

Cemaden instala equipamentos de alta tecnologia para monitorar áreas de riscos de deslizamentos em nove municípios do território nacional

As Estações Totais Robotizadas (ETRs) são sensores geotécnicos que medem os deslocamentos (nos três eixos) das encostas e/ou moradias e foram instaladas em nove municípios piloto de diferentes regiões do País que foram severamente afetadas por deslizamentos.

Para acompanhar com maior precisão os deslocamentos de terra em encostas com riscos de deslizamentos, o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Nacionais (Cemaden) do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) instalou equipamentos de alta tecnologia denominados Estações Totais Robotizadas (ETRs) e um conjunto de 100 prismas em nove municípios piloto que possuem áreas de risco a deslizamentos.

Os equipamentos foram instalados nas cidades de Nova Friburgo, Petrópolis, Teresópolis e Angra dos Reis (no Estado do Rio de Janeiro), de Mauá e de Santos (Estado de São Paulo), Blumenau (SC), Recife (PE) e de Salvador (BA).brasil_rede_geo

Cada município receberá um conjunto de equipamentos que inclui uma Estação Total Robotizada (ETR), acompanhada por 100 prismas. As Estações Totais Robotizadas (ETRs) são aparelhos que emitem sinais em infravermelho, os quais são refletidos em prismas instalados ao longo da encosta monitorada. Assim, será possível identificar pequenos deslocamentos nas encostas da ordem de 1,0 milímetro.

A novidade no País é a instalação dessas ETRs em áreas urbanas, cujos dados subsidiarão estudos para identificar os pontos críticos (limiares) nos processos de deslizamentos de terra nas encostas. Esses estudos serão realizados pelo Setor de Pesquisa do Cemaden (Processos Geodinâmicos Aplicados a Desastres Naturais). A partir da interpretação dos dados, será possível aprimorar os limiares críticos e, consequentemente, a emissão de alertas antecipados a deslizamentos com maior precisão.

Com tecnologia avançada, existindo aparelhos semelhantes na Europa e nos EUA, esses sensores geotécnicos são mais utilizados hoje, no Brasil, em grandes obras da engenharia civil, como por exemplo, na construção de hidrelétricas e em mineração, com a finalidade de monitorar e garantir a segurança dos trabalhadores, além de evitar maiores impactos ambientais.