Capa » Noticias » Ferramenta do Cemaden irá monitorar em tempo real a seca e seus impactos na agricultura familiar do semiárido

Ferramenta do Cemaden irá monitorar em tempo real a seca e seus impactos na agricultura familiar do semiárido

 

 

A utilização de monitoramento ambiental com informações que indicam o índice da umidade do solo (SMI) – destacando o risco agrícola espacial, temporal e de curto prazo – permite a análise e identificação do estresse hídrico da agricultura familiar na região semiárida brasileira. Esse monitoramento diário será realizado pelos pesquisadores do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), no contexto de criação de um Sistema de Previsão de Risco de Colapso de Safras no Semiárido. 

As informações dessas ferramentas apoiam as decisões no manejo agrícola, como por exemplo, as datas de plantio, desencadeamento de irrigação ou colheita. Todas as informações são enviadas pelas 100 Plataformas de Coletas de Dados Agrometeorológicos (PCDs Agro) e 550 Plataformas de Coleta Automática de Dados Pluviométricos e de Umidade de Solo (PCDs Aqua). Esses equipamentos foram instalados nas áreas rurais da região semiárida brasileira, nos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte.

As ferramentas que serão utilizadas no monitoramento foram apresentadas no artigo científico, coordenado pelo pesquisador da área de agrometeorologia do Cemaden, Marcelo Zeri, em conjunto com pesquisadores de diversas áreas de conhecimento da instituição. Intitulado “Ferramentas para comunicar a seca agrícola sobre o semiárido brasileiro, usando o índice de umidade de solo” (Tools for Communicating Agricultural Drought over the Brazilian Semiarid Using the Soil Moisture Index), o artigo foi publicado, recentemente, pela Revista Científica Water, da editora MDPI.

“Propusemos um novo índice para a identificação do estresse hídrico (ISA) durante dias contínuos, que poderia danificar as plantas e impactos na produção agrícola. Considerou-se, como base, o índice da umidade de solo.”, explica o pesquisador Marcelo Zeri, enfatizando a necessária continuidade de medições e relatórios rápidos de resultados em mapas e séries temporais.

Informações com abordagens espaciais e temporais

 A comunicação da umidade do solo foi testada usando abordagens espaciais e temporais, com o apoio de informações locais sobre as características do solo. “A abordagem espacial – com visualização integrada de chuva e umidade do solo – ajuda a conscientizar sobre as condições, em tempo real, sobre uma área de interesse.”, explica o pesquisador.

Na visualização temporal, compara a memória da umidade do solo registrada em dias e semanas anteriores e na resposta a eventos de chuva. “As séries temporais ajudam a caracterizar a ocorrência de períodos secos e possíveis impactos durante os períodos críticos.”, afirma o pesquisador do Cemaden.

Os estudos demonstram a precisão e importância dessas ferramentas para o monitoramento em tempo real do solo, as ações e planejamento para o controle e apoio na umidade do solo, com o objetivo de reduzir o risco de falha na colheita.

“A comunicação eficiente do risco da seca pode envolver os setores produtivos, a sociedade, comunidades e gestores públicos para atuar nos planos de mitigação da seca e de preparação para ajudar os produtores da agricultura familiar mais vulneráveis.”, enfatiza Marcelo Zeri, pesquisador do Cemaden. Atualmente, a média mensal do índice SMI tem sido divulgada no Boletim de Condições da Seca do Semiárido, no Portal do Cemaden.  As médias são calculadas para as microrregiões estaduais que se encontram na quadra chuvosa.

O artigo científico “Tools for Communicating Agricultural Drought over the Brazilian Semiarid Using the Soil Moisture Index”  pode ser baixado, gratuitamente, no seguinte endereço:

https://doi.org/10.3390/w10101421

Adicionalmente, foi criado um banco de dados de umidade do solo de 2015 a 2019, a partir uma triagem de dados disponíveis. A base de dados foi publicada na plataforma Mendeley Data com o nome de “A soil moisture dataset over the Brazilian semiarid region”. Os dados podem ser baixados, gratuitamente, no seguinte endereço:

https://data.mendeley.com/datasets/xrk5rfcpvg/1

Fonte: Ascom/Cemaden 

Confira também

Prorrogada inscrição da Campanha #AprenderParaPrevenir até o próximo dia 15 de novembro

  “Reduzindo o risco de desastres: ações educativas em tempos de mudanças climáticas” é o tema …