Capa » Noticias » Cemaden participa de reunião do acordo bilateral entre Brasil e Países Baixos para cooperação técnica-científica

Cemaden participa de reunião do acordo bilateral entre Brasil e Países Baixos para cooperação técnica-científica

Aprimorar os processos de monitoramento, previsão e alerta, bem como as ferramentas de comunicação e disseminação de conhecimentos ao público para a prevenção de desastres naturais, foram alguns dos pontos discutidos na reunião entre autoridades governamentais e representantes de instituições científicas do Brasil e dos Países Baixos, durante a 4ª Reunião do Comitê Conjunto Brasil-Países Baixos em Ciência, Tecnologia e Inovação a  “4th Meeting of Brazil – the Netherlands Joint Committee on Science, Technology and Innovation“, definindo as ações e cooperações bilaterais para o período de 2020 a 2023.

Realizado em Brasília (DF), em dezembro do ano passado, a reunião foi organizada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), com a participação do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), representado pelo pesquisador Márcio Moraes, que fez a apresentação sobre as pesquisas e rede observacional do Cemaden para o monitoramento hidrológico e prevenção de inundações repentinas.

Entre os resultados da reunião, ficou definida a cooperação e intercâmbio  técnico-científica  entre o Cemaden e  as instituições dos Países Baixos : Instituto Deltares (Enabling Delta Life), Instituto Real de Meteorologia dos Países Baixos (KNMI) e Pesquisa Ambiental de Wageningen (Alterra-WUR), para o desenvolvimento do trabalho científico de prevenção, alerta e comunicação de risco para redução dos impactos de desastres no Brasil.

“Será importante o trabalho de cooperação entre o Cemaden e as instituições dos Países Baixos. Na área hidrológica, a Deltares manifestou interesse em continuar o intercâmbio  com o Cemaden, utilizando  tecnologia de ponta na gestão de risco de inundações e no sistema de comunicação de alerta.”, afirma o pesquisador do Cemaden, Márcio Moraes.

Além da parte de monitoramento, o acordo de cooperação técnica-científica com o Cemaden prevê, também, a colaboração de conhecimentos de comunicação centrados nas pessoas (científicos e tradicionais) para a preparação a vulnerabilidades de riscos de desastres (educação em RRD-Redução de Riscos de Desastres, alertas, sustentabilidade) voltados às comunidades locais, escolas e Defesas Civis.

Durante o encontro,  foram discutidos os seis pilares do Programa Conjunto de Cooperação Brasil-Países Baixo (2020-2023) : tópicos intersetoriais de políticas, prevenção e monitoramento de desastres naturais, biodiversidade, economia de base biológica, sistemas de materiais de alta tecnologia, ciências da vida e da saúde, segurança, proteção e defesa.

Além de representantes do MCTIC, entre as instituições de pesquisa e inovação brasileiras  que participaram da reunião foram : Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), EMBRAPII – Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial, além do Cemaden –Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais.

(Fonte: Ascom/Cemaden)

 

Confira também

Boletim do Cemaden aponta impactos da seca em diferentes regiões do País

O Boletim Mensal de Impactos em Atividades Estratégicas para o Brasil, referente ao trimestre março-abril-maio …