Capa » Noticias » Cemaden aponta intensificação da seca na Região Centro-Oeste e persistência na Região Nordeste

Cemaden aponta intensificação da seca na Região Centro-Oeste e persistência na Região Nordeste

Projeções de cenários apontam a intensificação das condições de seca na Região Centro-Oeste do País e a persistência da seca na Região Nordeste. No Nordeste, essa seca poderá causar queda na produção agrícola de sequeiro dessa região. Com os cenários de projeção do Índice Integrado da Seca ( IIS)  para o mês de fevereiro  (com chuva 30% abaixo e 30% acima da média), as condições de seca fraca à severa, atingem o sul do Pará, interior da Bahia e Pernambuco e norte de Mato Grosso.

Essas informações estão na 16ª edição do Boletim Mensal de Previsão de Impactos em Atividades Estratégicas para o Brasil – elaborado pelo Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), unidade de pesquisa do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC), divulgados, no último dia 14, no portal do Cemaden.

O boletim indica os cenários mais prováveis de impactos em diferentes setores produtivos do Brasil. Isso inclui o diagnóstico (Janeiro/2020) e projeção (Fevereiro/2020) do Índice Integrado de Seca (IIS) para todo o Brasil, avaliação dos impactos da seca na agricultura familiar de sequeiro e previsão de impactos nos recursos hídricos para o trimestre fevereiro-março-abril de 2020 (FMA 2020).

Neste boletim de fevereiro, também são abordadas a situação atual e as projeções de vazões afluentes aos reservatórios do Sistema Cantareira, Três Marias e Serra da Mesa, bem como os possíveis cenários para os volumes armazenados nos açudes monitorados pelo Cemaden, no semiárido da Região Nordeste (Castanhão e Boqueirão), no decorrer do referido trimestre.

Em relação ao mesmo período de 2019, as projeções apontam situação mais crítica para o reservatório de Castanhão, no Ceará e para o reservatório Epitácio Pessoa/Boqueirão, na Paraíba.

Já a situação de armazenamento do Sistema Cantareira em 31 de janeiro de 2020 (45,7%) é melhor quando comparada à situação do ano anterior (43,3%). Em um cenário hipotético de chuvas na média climatológica, o modelo hidrológico projeta uma vazão afluente inferior à Média de Longo Termo (MLT) no próximo trimestre (80% da MLT).  Considerando este mesmo cenário hipotético de chuvas, o armazenamento do Sistema Cantareira, no final de abril de 2020, ficaria em torno de 59%, enquadrando-se na faixa de operação “atenção” (entre 40-60%).

As informações detalhadas do Boletim Mensal de Previsão de Impactos em Atividades Estratégicas para o Brasil estão disponibilizados no portal do Cemaden , com acesso pelo endereço:

http://www.cemaden.gov.br/categoria/monitoramento/boletim-de-impactos/

Fonte :Ascom/Cemaden

 

Confira também

NOTA DE ESCLARECIMENTO

O Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) – unidade de pesquisa …